INTRO: A9, E, C#m7, B, A9, E, B4, B

         E             B               C#m7
QUE SE PRENDA A MINHA LÍNGUA AO CÉU DA BOCA, 
      A9         B               E
SE DE TI, JERUSALÉM, EU ME ESQUECER! 

             C#m7        G#m7
1. Junto aos rios da Babilônia 
        A         G#m7
nos sentávamos chorando, 
       F#m7       B
com saudades de Sião. 
       C#m7        G#m7
Nos salgueiros por ali 
      A            B
penduramos nossas harpas. 

            C#m7           G#m7
2. Pois foi lá que os opressores 
       A           G#m7
nos pediram nossos cânticos; 
       F#m7       G#m7
nossos guardas exigiam 
     A          B
alegria na tristeza: 
        C#m7      G#m7
“Cantai hoje para nós 
       A         B
algum canto de Sião!” 

          C#m7        G#m7
3. Como havemos de cantar 
       A         G#m7
os cantares do Senhor 
     F#m7         B
numa terra estrangeira? 
      C#m7      G#m7
Se de ti, Jerusalém, 
       A             G#m7
algum dia eu me esquecer, 
        A             B
que resseque a minha mão! 

          C#m7         G#m7
4. Que se cole a minha língua 
       A              G#m7
e se prenda ao céu da boca, 
      F#m7           B
se de ti não me lembrar! 
       C#m7      G#m7
Se não for Jerusalém 
        A          B
minha grande alegria! 
Enviado por: Edson Luiz Pieczarka Jr